Pascom Diocese de Ituiutaba

Pascom Diocese de Ituiutaba

A diocese de Ituiutaba é uma divisão territorial da Igreja Católica no estado de Minas Gerais. A sé episcopal está na Catedral de São José, localizada no município de Ituiutaba.

Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Em sua catequese o Papa refletiu sobre os Atos dos Apóstolos, partindo do versículo 14, 27: “Deus abriu a porta da fé aos pagãos”. O texto é sobre a missão de Paulo e Barnabé e o Concílio de Jerusalém. O livro dos Atos dos Apóstolos narra que São Paulo, após seu encontro transformador com Jesus, foi acolhido pela Igreja de Jerusalém, graças à mediação de Barnabé, e começou a proclamar a Boa Nova de Cristo.

No entanto, disse Francisco, devido à hostilidade de alguns, Paulo foi obrigado a se transferir para Tarso, sua cidade natal, seguido por Barnabé, que também foi envolvido na pregação da Palavra de Deus. A  pregação passou por uma forte perseguição, que não acometeu a evangelização. “Eis o longo itinerário da Palavra de Deus, que deve ser anunciada por todos os cantos da terra”, afirmou o Santo Padre.

Paulo e Barnabé iniciaram a evangelização pela Antioquia da Síria, onde ficaram um ano inteiro, ensinando e ajudando a comunidade a criar raízes. Antioquia tornou-se o centro da propulsão missionária e foi o local onde os adeptos de Cristo foram chamados, pela primeira vez, de “cristãos”, segundo o Pontífice. Depois de Antioquia, Paulo e Barnabé foram enviados a outros lugares e esta foi a primeira etapa missionária de Paulo, que passou da pregação do Evangelho nas Sinagogas ao anúncio em ambientes pagãos populares.

“Do Livro dos Atos, emerge a natureza da Igreja, que não é uma fortaleza, mas uma tenda capaz de ampliar seu espaço para dar acesso a todos. A Igreja deve ser ’em saída’ senão não é uma Igreja; é uma Igreja de ‘portas abertas’, chamada a ser sempre a Casa aberta do Pai. Assim, se alguém quiser seguir a ação do Espírito e buscar a presença de Deus, não encontrará o obstáculo de uma porta fechada”, frisou o Papa.

Com a pregação de Paulo e Barnabé nos ambientes pagãos, Francisco afirmou que começaram os problemas: abrir as portas aos pagãos e judeus desencadeou uma controvérsia ferrenha. Alguns judeus sentiam a necessidade da circuncisão para se salvar e ser batizados. Para resolver a questão, Paulo e Barnabé pediram o parecer do conselho dos Apóstolos e anciãos de Jerusalém, considerado pelo Pontífice o primeiro Concílio da história da Igreja: o Concílio de Jerusalém ou Assembleia de Jerusalém. 

O Santo Padre disse: “Foi abordada uma questão teológica, espiritual e disciplinar muito delicada: a relação entre a fé em Cristo e a observância da Lei de Moisés. Durante a assembleia foram decisivos os discursos de Pedro e Tiago, “pilares” da Igreja mãe. Ambos convidavam a não impor a circuncisão aos pagãos, mas apenas a pedir para rejeitar a idolatria, em todas as suas expressões”. Essa decisão, ratificada com uma Carta apostólica, foi enviada a Antioquia.

Fonte: Canção Nova

O assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Crispim Guimarães dos Santos, falou no plenário da Câmara dos Deputados na manhã desta segunda-feira, quando foi realizada sessão solene em homenagem ao Dia Nacional de Valorização da Família.

Em seu discurso, levou o abraço do bispo de Rio Grande (RS) e presidente da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, dom Ricardo Hoepers, e destacou a celebração da data e o destaque dado à instituição que é “célula mater da sociedade”.

Padre Crispim recordou a Semana Nacional da Família deste ano, que celebrou os 25 anos da Campanha da Fraternidade sobre a Família. “Da nossa parte, como muitos aspectos da vida social do nosso povo, especialmente os que estão na periferia, temos plena consciência de que nenhuma ação, seja da Igreja, seja do Estado, será eficaz na melhoria dos índices sociais se a instituição familiar continuar a ser menosprezada e atacada como instituição caduca, retrógrada”, pontou.

Para o assessor da CNBB, a família continua a ser chamada “a se aprimorar no amor, no respeito mútuo dos seus membros”. Tais atitudes, sustenta, serão “essenciais para a renovação e construção de uma verdadeira sociedade do bem-estar e de políticas públicas coerentes e capazes de, senão erradicar, ao menos baixar os indicadores alarmantes de violência, as mais variadas, consumo de drogas, comportamentos autodestrutivos”.

A sessão foi proposta pela deputada Chris Tonietto e teve participação de integrantes da Frente Parlamentar Católica, como o deputado Diego Garcia, que presidiu a sessão. Também esteve presente na cerimônia a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

Ainda no espírito da plena realização das ações do Mês Missionário Extraordinário celebrado pela Igreja no mês de outubro, o bispo de Chapecó (SC) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Missionária e Cooperação Intereclesial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Odelir José Magri, encontra-se reunido dias 22 e 23 de outubro com os dois assessores da Comissão, o padre Daniel Luz Rocchetti e a Irmã Sandra Regina Amado.

Na pauta, segundo os assessores, está o foco na organização e sistematização final do Plano Quadrienal de Animação Missionária da Igreja no Brasil a ser proposto pela Comissão. Irmã Sandra informa que foi feito um trabalho de mapeamento das possibilidades de ação e atividades em cada ano do próximo quadriênio. A ideia, segundo ela, é ter uma visão clara do que a Comissão vai fazer nos próximos anos.

Para não deixar baixar o espírito aceso pelo Mês Missionário, dom Odelir afirmou que a preocupação, para os próximos anos, é a de como manter viva a dinamização do aspecto missionário na Igreja no Brasil. “Para nós, o grande instrumento e triunfo é o Programa Missionário Nacional, lançado recentemente, e que vai ser a menina dos olhos do próximo quadriênio e décadas”, disse.

Uma das novidades do Plano de trabalho da Comissão é, segundo o padre Daniel, o acompanhamento de perto dos projetos de cooperação intereclesial que a CNBB mantém com outras conferências episcopais, como é o caso da cooperação com as Igrejas do Timor Leste e da Guiné Bissau. Buscando fortalecer o pilar da missão previsto nas novas diretrizes da ação evangelizadora da Igreja, a Comissão também vai incentivar os regionais a desenvolverem projetos ad gentes.

O padre Daniel lembra que para 2020, a Comissão tem o planejamento de acompanhar a Pastoral de Brasileiros no Exterior com previsão de levantamento das comunidades existentes e a seleção, formação e acompanhamento dos padres que atuarão na pastoral

 Balanço parcial do Mês Missionário Extraordinário

Pelo que tem acompanhado mais localmente, com referência em sua diocese, Chapecó (SC) e de seu regional, Sul 4, e também por informações disseminadas em redes sociais, dom Odelir disse que dá para afirmar que o Mês Missionário foi abraçado pelas dioceses paróquias e comunidades do Brasil e tem aumentado a consciência missionária na Igreja no Brasil.

O religioso também chegou à esta conclusão com base no material que foi distribuído. “Pela quantidade de material que foi pedido no Brasil todo, por exemplo foram distribuídas em torno de 25 mil cópias do Guia do Mês Missionário Extaordinário, em geral o sentimento é que ele foi abraçado”, avaliou.

Segundo o presidente da Comissão para Animação Missionária da CNBB, percebe-se também o envolvimento da Igreja com o Mês Missionário com a realização do gesto concreto, realizado no último final de semana no Dia Mundial das Missões, com muitas comunidades realizando visitas missionárias, encerrando com uma vigília. “Eu tive um feedback dos contatos de como o pessoal pegou as ideias e celebrou a visita missionária”, disse.

Dom Odelir também destacou o gesto concreto da coleta que foi a oferta da patilha do Mundial das Missões. “Portanto, muita coisa aguardamos para ter um retorno mais objetivo e concreto. Mas no geral, o pessoal acolheu, abraçou e realmente fez acontecer as propostas da dinâmica do Mês Missionário Extraordinário, com maior consciência da missão, com o aspecto dos símbolos que foram distribuídos, a bandeira com o tema “Batizados e Enviados: a Igreja de Cristo em Missão no Mundo” e a cruz peregrina. “Muitas igrejas fizeram esta cruz peregrinar nos grupos e nas comunidades. São sinais bem concretos e bonitos que nos dão esse retorno e essa certeza de que realmente o Mês Missionário Extraordinária está sendo vivido com intensidade”, concluiu.

 

Pagina 9 de 9

A diocese de Ituiutaba é uma divisão territorial da Igreja Católica no estado de Minas Gerais. A sé episcopal está na Catedral de São José, localizada no município de Ituiutaba.

Foi criada em 16 de outubro de 1982 pelo Papa João Paulo II pela bula. Quo Melius ( que quer dizer Quanto Melhor ) de 16 de outubro de 1982, com território desmembrada da Arquidiocese de Uberaba e da Diocese de Uberlândia.

 

Top
We use cookies to improve our website. By continuing to use this website, you are giving consent to cookies being used. More details…